FUNÇÕES ANALÍTICAS DO ORACLE – Look Back e Look Ahead (LAG/LEAD)

Duas outras funções analíticas são o LAG (Look back - olhe para trás) e o LEAD (Look Ahead - olhar adiante), que foram introduzidos no Oracle 8i. Ele fornece acesso a mais do que uma linha de uma tabela, ao mesmo tempo sem um auto-junção. Dada uma série de linhas retornadas de uma consulta e uma posição do cursor, LAG / LEAD fornece acesso a uma linha em um dado físico antes do deslocamento do posicionamento.

Sintaxe:

LAG(value_expr [, offset ] [, default ]) OVER ([ query_partition_clause ] order_by_clause)
LEAD(value_expr [, offset ] [, default ]) OVER ([ query_partition_clause ] order_by_clause)

Continue lendo em oraclehome.com.br


Arquitetura do Oracle Database em menos de 10 minutos (Video – Inglês)

Este é um video de Stephane Faroult sobre a arquitetura do Oracle database. Ele mostra no video como uma uma bela descricao de o que acontece quando inicia o Oracle e quando você executa uma declaração. O video está em inglês.
Assista:




SQL Server 2008 System Views Map

Download the SQL 2008 System View Map

Para quem gosta de visualizar melhor os relacionamentos entre as tabelas e views do seu banco de dados a Microsoft SQL Server 2008 System Views Map mostra as views incluidas no SQL Server 2008, e seus relacionamentos.

Fonte: DBANotes


Fake/Virtual Index (Indice Virtual)

Após muitas leituras sobre tuning e performance, achei algo interessante e rápido para postar aqui no site e que possa ser muito util para os programadores e administradores de Banco Oracle.
Preciso melhorar a performance do meu SQL, será que esse indice vai me ajudar?

Uma boa pergunta, pois até então criar um indice em uma tabela sempre há um custo.
Porem como irei saber se aquele indice vai ser útil mesmo sem poder testar na prática?
Uma das novas features do 11g é criar indices invisiveis, não interferindo no ambiente(produção como no exemplo), uhuuuu claro estou dizendo em produção nada em ambiente teste, pois nem todo mundo tem essa maravilha que é um ambiente de teste bom e legal p/ testar sua aplicação.
Ai vem o X da questão, nas versões anteriores(8i, 9i e 10g) não tem nada para nos ajudar?
Isso mesmo lendo um bucado achei o FAKE INDEX ou VIRTUAL INDEX.

Ok, agora vou mostrar com um exemplo simples do seu funcionamento.

1. Lembrando que esta prática serve para o Oracle informar, se o indice a ser criado, realmente será usado pelo otimizador e seu custo.
2. Ao ser criado, estara somente no dicionario de dados e não será criado o indice mesmo, não haverá segmentos (NOSEGMENT).
3. Há um parametro não documentado pela oracle, que faz parte do Oracle Enterprise Manager Tuning Wizard para que esta pratica seja bem sucessida.

Ex.:
Tabela teste com 398698 registros Continue lendo →


Query’s SQL para XML

Rapidinha: O oracle tem como default a função de transformar query's sql para XML

Exemplo:

  1.  
  2. SET long 5000
  3. SET pagesize 5000
  4. SET linesize 132
  5. SELECT
  6. dbms_xmlgen.getxml(SELECT * FROM user_tables’) XMLQUERY
  7. FROM dual;
  8.  

Pivot ou CrossTab (invertendo linhas em colunas)

Imagine você está tentando para criar um jogo de resultados onde os registros precisam ser colunas, ou vice-versa.
A essência, você precisa "girar" os registros em colunas, ou vice-versa.
Muitas vezes há relatorios que exigêm isto e para que não precisarmos de criar functions ou qualquer outra coisa para solucionar isso podemos usar o chamado pivot ou crosstab queries.

Uma questão de pivot simples é realizada fazendo o seguinte:
1. Acrescente algum tipo de conta ou número de fila ao seu questionamento, se necessário para o agrupamento;
2. Então use sua query original como uma sub-query;
3. Use "decode" para se transformar os registros em colunas;
4. Use "MAX ou SUM" para "agrupar" os registros múltiplos em únicas coluna. E não pode ser esquecido de agrupar.

Exemplo prático: Continue lendo →